Ladrão em show do Royal Blood
Foto: Polícia de West Midlands / Divulgação
 

Um homem foi preso após um show do Royal Blood em Novembro, acusado de roubar mais de 50 celulares de fãs que assistiam ao duo britânico na Arena Birmingham.

Alin Marin, de 22 anos, foi pego por policiais à paisana vestindo um traje de mergulho que o permitiu esconder os aparelhos furtados durante a noite. A polícia local já estava em alerta sobre possíveis furtos no meio do público.

Na última segunda-feira (18), Marin foi sentenciado a três anos de prisão pelo episódio. De acordo com a sargento da polícia de Birmingham, Julia Slater, o caso foi de furto organizado.

Ele [Marin] guardou celulares dentro da roupa de mergulho e se tornou um depósito humano para os telefones, permitindo que carregasse dezenas de celulares escondidos em seu corpo.

Muitos dos telefones foram tirados de bolsos frontais, onde as pessoas acham que é um local mais seguro para carregar bens de valor, mas pelos empurrões no mosh pit eles não perceberam que estavam sendo visados.

É uma triste realidade que grandes multidões em shows permitam que furtos se tornem uma carreira criminosa.

Guarde a dica: ao ir num show de grande público, não guarde nada nos bolsos frontais ou preste atenção quando estiver em locais de maior movimento. Dê preferência à doleira (também conhecida como pochete) para guardar celular, documentos e dinheiro. Assim, você curte o show e evita maiores dores de cabeça.

Vale lembrar que em 2017 o Royal Blood lançou seu segundo disco, How Did We Get So Dark?, que entrou em nossa lista com os 50 melhores discos internacionais do ano.

   
 
FonteNME
Compartilhar