Josh Homme no clipe de
Foto por Andreas Neumann
 

Em 2013 o Queens Of The Stone Age lançou seu sexto disco de estúdio, …Like Clockwork, e apresentou uma nova sonoridade ao mundo.

O álbum conta com canções sombrias, um tom bem pesado e supostamente reflete um período difícil pelo qual Josh Homme, líder da banda, passou.

Na época, ele disse em algumas entrevistas que o fato mais marcante do período todo foi uma cirurgia que teve de fazer no joelho em 2010, onde teria “morrido” por alguns minutos, sido reanimado e passado três meses de cama depois.

Pois bem, em nova entrevista para a Mojo (via Alternative Nation), Homme disse que essa história não é verdadeira e falou que “deve ter sido algo do assessor de imprensa”:

Não foi uma cirurgia no joelho. Eu nunca disse que houve uma cirurgia no joelho. Talvez tenha sido nosso assessor de imprensa. Eu não gosto de falar sobre como cheguei nesse estado. Mas cheguei nesse estado. E não foi a cirurgia que me fodeu, foi o período posterior porque fiquei preso a uma cama. Eu não conseguia me mexer, e era contagioso. Por três meses eu não podia tocar ninguém.

Minha filha era nova e eu tive que gritar para que ela ficasse longe de mim. Ao final disso tudo eu não estava muito feliz. Eu estava desesperado por outra história para contar sobre esse disco. Mas os discos são diários de uma vida. Então eles têm que ser reais ou estou fora. Além disso, os caras estavam querendo gravar um disco e eu não queria. Foi a Brody [esposa de Josh Homme] quem conversou comigo.

Eu imagino que eu não era a melhor pessoa do mundo para se estar perto, então ela falou tipo, ‘Por favor vá para a garagem e toque algumas músicas!’ E aí eu voltei com ‘The Vampyre Of Time and Memory’ e disse, ‘Ninguém irá querer ouvir isso.’ Uma coisa que eu sei com certeza é que de todos os tipos diferentes de reclamação, um músico bem sucedido reclamando é a pior delas.

LEIA TAMBÉM: Josh Homme e a arte de pedir desculpas por conveniência

Apesar de dizer que “deve ter sido um assessor”, você pode ler a entrevista de 2011 dada por Homme para a NME, onde ele diz que “morreu na mesa”, clicando aqui.

   
 
Compartilhar