Fat Family
 

Todo mundo adora mencionar aquelas bandas, grupos, duplas e até cantores solos que fizeram um grande sucesso e desapareceram, não é mesmo?

Pois é, só que nunca antes na história desse país você conseguiu achar uma quantidade insana desses hits reunidos, incluindo aqueles que deixam e aqueles que não deixam nenhum pouco de saudades.

O Tenho Mais Discos Que Amigos! enfiou as caras no passado, resgatou aqueles hits que sua mãe achava bonitinho de ver você dançando, misturou com aqueles outros que não são tão velhos assim, chafurdou na cara da sociedade e achou os 15 maiores one hit wonders brasucas, entre eles aqueles que você tem orgulho e aqueles que você tem vergonha de admitir que já curtiu. Confere aê!

15 – Virgulóides – Bagulho no Bumba

Virgulóides

Quem nunca se divertiu cantando e dançando (sim, dançando!) um samba misturado com rock na busca eterna por um bagulho no banco de trás não viveu o auge dos anos 1990. O tal do Bagulho no Bumba fazia o Brasil inteiro ficar de pé e ficar sentado em 1997, garantindo aos autores inclusive um Prêmio Multishow como Banda Revelação do ano. Henrique Lima, Beto Demoreaux e Paulinho Jiraya, depois do primeiro álbum, intitulado Virgulóides não tiveram a mesma sorte.

Gravaram um segundo álbum, o Só pra quem tem dinheiro com participações dos Raimundos e de Bezerra da Silva e chegaram a lançar um terceiro disco em outubro de 2000, o As Aventuras dos Virgulóides, mas como depois do bagulho ninguém sabia mais de nada, encerraram suas atividades em 2001.

Até hoje, fãs incansáveis buscam saber por onde andam os moços e eles de vez em quando aparecem para dar o ar de sua graça em algum show ou apresentação por aí. As últimas aparições da banda foram na Rede Record em 2010 e numa possível volta na Virada Cultural desse ano, no Largo do Arouche às 4h da manhã.

14 – P. O. Box – Papo de Jacaré

PO BOx

Clássico dos anos 1999 e 2000, esse som não saía da cabeça de qualquer cidadão brasileiro que se permitiu ligar o rádio no período. O tal Papo de Jacaré (que ninguém entendeu até hoje porque era de Jacaré) deixou todo mundo louco para entender o que a garota queria dizer, mesmo que ela misturasse inglês e francês. Carlinhos Santos, Nelson Araújo, Jairo Reis, Olcione Reis e Neil Araújo sumiram do mundo um pouco depois de aparecerem e no verão de 2001 e a galera só lembrava deles se alguém conseguisse cantar o “Diz que vai me ensinar, então diga como é”.

O ponto é que a banda acabou mas deixou seu legado. Em 2008, quando ainda não era um fenômeno do sertanejo universitário, Gusttavo Lima gravou a canção. Em 2009 Latino repetiu o feito. Só gente de qualidade, não?

13 – O Surto – A Cera

O Surto

Em primeiro lugar, quase ninguém sabe que o nome dessa música é “A Cera“, porque todo mundo a associa ao eterno cabeção, que pirou por causa da garota. O caso é que a música estourou em 2000 e estava no segundo álbum da banda. Em 2001 os caras até tocaram no Rock in Rio, mas apesar de continuarem na ativa até hoje, não conseguiram emplacar mais nenhum mega hit das proporções deste aqui.

Hoje em dia, com apenas dois dos cinco integrantes originais, a banda ainda faz apresentações e participações especiais em eventos e recentemente foram vistos no Sul, em um show dos Raimundos, tocando, é claro, o eterno refrão “Um rosto lindo e um sorriso encantador, e um jeitinho de falar que me pirou, que me pirou o cabeção” para delírio dos fãs…

12 – Luka – Tô nem Aí

Luka

No verão de 2003 não havia alma viva no país que não se lembrasse dessa mocinha de cabelos cacheados que não estava nem aí pra nada. A cantora, que compôs o sucesso em parceria com o Latino, arrebentou em todas as rádios do país por dois anos seguidos, sem querer saber dos problemas de ninguém. Depois do sucesso arrebatador, que foi trilha sonora da eterna novela / seriado / programa sem fim Malhação, lançou outras músicas e continua na ativa. Mas até hoje só é lembrada mesmo quando diz o famoso “Tô nem aí, tô nem aí…”…

11 – Fincabaute – Coisa de Maluco

Fincabaute

Em meados de 1996, 1997 você curtia uma música com um versinho que dizia “É coisa de maluco / Ninguém obedece / Sinal de trânsito / Faixa de pedestre” e outras verdades universais que ficavam bonitinhas num reggae maneiro. Depois do sucesso arrebatador, a banda sumiu e muita gente não lembra mais da existência deles, já que Wikipédia e Google não ajudam.

Ainda tem gente que diz que foi a gravadora que os boicotou, mas a verdade ainda é um mistério. Conhece alguma história? Conta pra gente!

 

10 – Rajja e Cabong – Sai da minha veia

Rajja e Cabong

Entre 1999 / 2000 esse som era o sucesso rock´n´roll do rádio. Os meninos do Rajja e Cabong estrearam com a música e daí pra frente, não tiveram mais nenhum grande sucesso. Hoje, depois do fim da banda que aconteceu um pouco depois de o grande sucesso ter esfriado, o cantor Rajja está trabalhando em lançamentos solo.

O cara também já participações especiais em shows do Capital Inicial, O Rappa e Planet Hemp além de ter apoiado na gravação de dois álbuns do Charlie Brown Jr. Tem essas e muitas outras informações no My Space do cantor, confere lá!

9 – Fat Family – Jeitinho Sexy

Fat Family

Sete pescoços gordinhos balançando na telinha da TV. Se essa imagem simpática te lembra alguma coisa, você viveu os anos 90 intensamente e acompanhou esses simpáticos gordinhos arrebentando a boca do balão no Brasil inteiro. Com uma versão da original “Shy Guy”, esses sete irmãos ganharam cada canto do país com sua voz marcante e seu ritmo contagiante.

Como o nome já diz, a família de gordinhos fez o maior sucesso com essa música e até lançou alguns outros hits, mas nenhum deles alcançou nem metade do sucesso do primeiro. Depois de emagrecerem juntos (quase todos os irmãos fizeram cirurgia para a redução do estômago) e se converterem à religião evangélica, o Fat Family passou a cantar música gospel. Sua última aparição foi num clipe que fizeram com a cantora Mara Maravilha. Se você também prefere os irmãos na época “gorda”, relembre o clipe com a gente!

8 – Pepê e Neném – Mania de Você

Pepe e Nenem

Um CD de ouro! Um sonho de qualquer pessoa que imagina fazer sucesso cantando. O talento das irmãs Pepê e Neném chamou a atenção de um empresário e em 1999 as meninas conseguiram ganhar um dos maiores prêmios após a gravação de seu primeiro álbum e o estouro do hit que grudava na cabeça de quem escutasse. “Olhos nos olhos, boca na boca, que coisa louca… a gente rolar outra vez!” era do tipo de versinho que simplesmente fica.

As irmãs gravaram novos álbuns, rodaram o país, foram roubadas pelo empresário em 2001 e tentaram novamente, mas não tiveram nenhum novo grande destaque na mídia. Neste ano, o nome das duas irmãs apareceu novamente nos jornais, não por sua música, mas pela revelação de que ambas são homossexuais.

7- Uns Kamaradas – Os Seis Mané

Uns Kamaradas

Os caras que ouviam Red Hot, Bob Marley e Charlie Brown descendo para o litoral só fizeram essa música pra grudar no ouvido da turma. Mas ganharam o reconhecimento do público em 2001. Além disso, ninguém sabe para onde foram, o que fizeram e onde estão (nem o Yahoo! Respostas). Mas pra lembrar, que tal escutar esse One Hit Wonder e ver se sabe do que estamos falando?

6 – B5 – Só Mais uma Vez

B5

Esses cariocas de Petrópolis conquistaram os corações adolescentes das garotinhas do Brasil em 2002. Com o hit que misturava pop rock com hardcore, Eduardo e Bernardo Guimarães, Lucas Leite, Leonardo Lotti e Luis Felipe estouraram no país e conseguiram até aparecer na trilha sonora da Malhação. Em 2009, a banda acabou e só deixou saudades… ou não…

5 – Vanessa Rangel – Palpite

Vanessa Rangel

E 1997 vai ser premiado pelo Tenho Mais Discos que Amigos! como “O ano nacional do One Hit Wonder”. Esse outro aqui que veio para completar a coleção é da simpática Vanessa Rangel, que abandonou a carreira de advogada para se dedicar à música e encaixou esse som na trilha sonora da novela global “Por Amor”. Mais tarde, quando percebeu que nenhuma outra música faria sucesso como a primeira, Vanessa deu um outro palpite certeiro: voltou à carreira de Direito, atuando como servidora pública federal.

4 – Fausto Fawcett e os Robôs Efêmeros – Kátia Flávia – A Godiva do Irajá

Aqui começa a sessão ‘Clássicos dos One Hit Wonders Brasileiros’. Até agora, você só viu canções relativamente recentes por aqui, então, vamos começar com um sucesso de 1987. O compositor, jornalista e autor teatral Fausto Fawcett lançou-se na carreira de cantor, com esse que é um clássico dos anos 80 que até hoje toca nas baladinhas do Brasil, e contava a história de uma poderosa mulher que conquistava qualquer um à sua volta com suas calcinhas diferentes e seu jeito sensual. A música fez parte da trilha sono da novela “O Outro” e do filme “A Lua de Fel”.

3 – Herva Doce – Amante Profissional

Herva Doce

“Moreno alto, bonito e sensual… talvez eu seja a solução pros seus problemas! Carinhoso, bom nível social!” Em 1985 esse era o maior sucesso do país e tocava em todas as rádios, de norte a sul. Mas o sucesso não foi a primeira vez que a banda apareceu na mídia não. Dois anos antes os caras abriram o show do Kiss no Maracanã. De qualquer forma, o que conta é que nenhum lançamento anterior a “Amante Profissional” fez tanto sucesso quanto essa música. E nada que tenha vindo depois do grande hit também.


2 – Kaoma – Chorando se Foi (Lambada)

Kaoma

Até os anos 90 era comum que o povo brasileiro escutasse músicas gravadas por cantores locais achando que elas fossem compostas por aqui, até que descobrissem que na verdade eram versões de cantores lá de fora. É o caso dessa música da banda Kaoma, que na versão original se chama “Llorando se Fue” e é do grupo Los Kjarkas. Mas como o foco aqui é outro, basta dizer que o grupo franco-brasileiro estourou por aqui com esse mega hit que fez parte da vida e do dia a dia do brasileiro nos anos de 1989 e 1990. A música foi sucesso tanto aqui como na Áustria, nos EUA e em toda a Europa. Não esquecida, a canção já foi regravada por diversos artistas em todo o mundo e hoje em dia até é sample do novo single de Jennifer Lopez, On The Floor. Para o Kaoma, só a lembrança do glamour, porque esse foi seu único grande sucesso.

1- Ritchie – Menina Veneno

Ritchie

E esse é o único one hit wonder brasileiro que não é de um brasileiro, até por isso um clássico que mereceu uma posição de destaque na nossa lista. Ritchie é americano, filho de um militar e veio para o Brasil no final de 1972, com alguns amigos que conheceu na Alemanha, entre eles Rita Lee e Liminha dos Mutantes. Depois disso, Ritchie tocou com Lulu Santos e com Lobão no Vinama, deu aulas de música para vários alunos que depois viriam a ser grandes sucessos e só em 1982, depois de decidir lançar um trabalho solo, é que a menina veneno e o abajur cor de carne surgiram em sua vida para fazê-lo ser conhecido em todo o país.

Ritchie não parou nesse mega hit, mas também não foi mais tão lembrado. Já a menina veneno foi regravada por vários artistas, entre eles os cantores sertanejos Zezé di Camargo & Luciano. Mas é claro que a versão original é sempre a mais legal né?